D. Madalena Prudência vive só num espaço fora do normal, com uma rotina muito própria de alguém que concentra em si todas as dúvidas relativas à existência do tempo e das coisas, dos fenómenos energéticos da matéria, e do seu futuro na literatura.

Procura terminar um relatório preciso e confidencial, ainda que não consiga, pois tudo o que é essencial é seco, e o seu discurso fica muito vezes molhado pelas emoções.

De imaginação fértil e íntimo sofrido, o seu cansaço e falta de sono dificultam a tarefa de relatar e transmitir certas características de uma vida apodrecível.

E, por mais incrível que pareça, ela sabe que o público está lá, faz parte do seu delírio, e confirma a necessidade de descrever os erros do Tempo, que vem de Deus.

O RELATÓRIO DA COISA

A partir do conto homónimo de Clarisse Lispector

Criação e Interpretação: Carolina Santos

Manipulação de figuras e adereços: Ana Karina

Sonoplastia: Marco Martins

Tema principal: excerto de Arriba de José Salgueiro

Voz-off: Ygor Raduy

Cenário, adereços e figuras: Carolina Santos e Marco Martins

Figurino e desenhos: Ana Karina

Fotografia: Daniel Pina

Grafismo, vídeo e comunicação: Carolina Santos

Produção: Mákina de Cena / MdC Teatro 2019

Apoios: Câmara Municipal de Loulé / Cine-Teatro Louletano,

Direcção Regional de Cultura do Algarve, DeVIR/CAPa, Loulecópia

Parceiro: First Round ICP

 

ECOS DO PÚBLICO

“…O Relatório da Coisa é uma coisa maravilhosa!!! Que belo início da Mákina de Cena!”

 

“Humor, inteligência e humanidade são ferramentas que Carolina Santos não poupou para levar à cena o conto de Clarice Lispector. Carolina Santos é a “Mákina da Coisa” que, com uma sagacidade fina se completa num trio perfeito em “Relatório da Coisa”. Além da escolha de um texto brilhante, os maneirismos da D. Madalena e as “janelas paralelas” que se abrem ao longo do monólogo são condutores de uma energia que se mantém do início ao fim da apresentação. Diria mesmo que esta nos segue no regresso a casa e à vida real, transformando a experiência da peça num sonho.”

 

“Uma interpretação inteligente e contagiante. Um cenário simples, mas envolvente. Uma pequena equipa, com um grande talento. A criatividade está viva e recomenda-se. A Mákina acordou e isso… é Sveglia!”

 

“Ontem tive o privilégio de assistir ao "Relatório da coisa" uma peça maravilhosamente encenada e com uma personagem deliciosa! (…) um projecto de corpo inteiro, com pés e cabeça e pernas para andar!”

 

“O Relatório da Coisa: a Mákina tem futuro. E nós precisamos dela.”